11 de jan de 2011

SETEMBRO


Simplesmente a natureza
Exige uma solução
Talvez por ser indefesa
Ela devolve a destruição
Mar que antes era calmo
Bravo tornou-se agora
Retoma hoje palmo a palmo
O que o homem tomou-lhe outrora


POETA AMBIENTAL

Nenhum comentário:

Postar um comentário