12 de jul de 2010

angico


Arvore que no passado

Nobreza deu ao cerrado

Geme e grita agora

Incêndio e desmatamento

Consome em pouco tempo

O pouco que resta da flora...

Ataíde Vieira (poeta ambiental)

Nenhum comentário:

Postar um comentário