7 de jan de 2010

poeta ambiental (MEU ENDEREÇO)

O LUGAR AONDE EU MORO
NÃO TEM RUA ASFALTADA
QUEM QUISER ME VISITAR
DESDE JÁ VOU AVISAR
QUE É BEM RUIM A ESTRADA

PEGUE A ESTRADA BOIADEIRA
ATÉ CHEGAR NO PÉ DA SERRA
E ASSIM QUE ACABAR A ESTRADA
ENTRE NA ESTREITA PICADA
ONDE O MATO COBRIU A TERRA

E ASSIM QUE SENTIR NA PELE
OS RAIOS DE SOL DOURADO
PODE TIRAR A CAMISA
PORQUE A NATUREZA AVISA
PRA PASSAR O RIO A NADO

MAS SE A CASO LHE DER SEDE
OU A POEIRA LHE FIZER MAL
DESÇA UM POUCO MAIS ABAIXO
E TOME ÁGUA DO RIACHO
QUE DEUS A FEZ MINERAL

MAS DESÇA BEM DE MANSINHO
COM TODA CAUTELA QUE TEM
PORQUE SE FOR MEIO DIA OU MAIS
TODOS PASSÁROS E ANIMAIS
LÁ TOMAM ÁGUA TAMBÉM

E ASSIM QUE ESTIVER DISPOSTO
E QUISER CONTINUAR
DESCENDO A PEQUENA LADEIRA
E AVISTANDO A VELHA PORTEIRA
É ALI O MEU LUGAR

NÃO SE ASSUSTE AO TROPESSAR
COM ANIMAIS NO TERREIRO
NESTE SOLO ABENÇOADO
EU NÃO ME LEMBRO TER FECHADO
NEM UM PORCO NO CHIQUEIRO

A VIDA LÁ É DESSE JEITO
SE ABUSA DA LIBERDADE
PORQUE A PRÓPIA NATUREZA
TÃO FRÁGIL E TÃO INDEFEZA
É UMA PRISÃO DE VERDADE

SE EU NÃO ESTIVER EM CASA
NÃO SE ACANHE PODE ENTRAR
POIS QUANDO EU VOU PRA PESCARIA
EU SÓ VOLTO NO OUTRO DIA
DEPOIS QUE O SOL RAIAR

MAS QUANDO VOÇÊ FOR EMBORA
EU VOU LHE PEDIR SÓ UM FAVOR
FECHE A PORTEIRA BEM DEVAGARINHO
QUE É PRA NÃO ASSUSTAR NO NINHO
MEU CASAL DE BEIJA FLOR


ATAIDE VIEIRA ( POETA AMBIENTAL )

Nenhum comentário:

Postar um comentário